A polêmica festa de aniversário da Embasa

A Empresa Baiana de Água e Saneamento (Embasa) não está economizando nas comemorações dos seu 40 anos. No sábado (7), ela patrocina show com a cantora Daniela Mercury, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves para marcar a data. O valor do contrato entre a empresa e a cantora tornou-se “segredo de estado”, já que a Embasa alega não poder revelar por questões contratuais. Se a festa promete ser inesquecível, também vai render algumas dores de cabeça para a direção da Embasa.

Pelo menos é o que promete a oposição, insatisfeita com o percentual de quase 14% proposto pela empresa para reajustar o serviço de água no estado, questionado judicialmente por deputados que integram o bloco de minoria na Assembleia Legislativa. Eles conquistaram liminar impedindo a aplicação do percentual, derrubada nesta terça-feira (3). “O presidente da Embasa entrou no plenário comemorando. Deveria ficar envergonhado de desviar a finalidade da empresa e depois cobrar a conta do consumidor”, reclamou o deputado Bruno Reis (PRP).

Segundo ele, a festa de aniversário dos 40 anos da Embasa pode custar cerca de R$ 370 mil aos cofres estaduais. "Se em outros estados o cachê da cantora é em torno desse valor, conforme revelou a revista Veja, imagino que aqui não vai custar menos”, diz Reis, mostrando-se indignado com a sonegação da informação sobre o valor do show da cantora baiana. “Depois o governo do PT fica pregando transparência. Isso é só discurso”, acusa o parlamentar.

Para obter a informação, a oposição pretende protocolar um requerimento na Comissão de Finanças e Orçamento da Assembleia. Lembrando que é direito do cidadão saber onde está sendo empregado o dinheiro público, fontes do governo atestam que não existe impedimento legal para a revelação de valores de contrato firmados por empresas públicas. De acordo com essas fontes, a Embasa tem a obrigação de prestar a informação.

A possibilidade de a Embasa ser alvo de denúncia no Ministério Público (MP) não está descartada. Conforme o deputado Luciano Simões (PMDB), a oposição vai aguardar a informação sobre o valor do contrato para adotar as medidas cabíveis.

Meio descrente da atuação do MP, Bruno Reis reclama dos vários patrocínios da Embasa ao setor artístico. “No carnaval, a empresa repassou R$ 192 mil a título de patrocínio para o camarote Boteco do Samba, de Marta Góes, sem licitação. Também patrocinou o projeto Forró no Parque, do cantor Zelito Miranda. Agora na micareta de Feira de Santana foram R$ 310 mil de patrocínio. Não sou contra apoio cultural, mas isso é desvio de função e a empresa quer que o cidadão pague a conta”, diz Reis. A matéria continua leia o restante no site: bocaonews.com.br

1 comentários:

  1. com o tanto de dinheiro que a embasa rouba dos usuario de seus serviços daria pra contratar ate u2 o povo de iraquara a 470 km de salvador na chapada diamantina ja n sabe mais o que fazer por que estao a mercer dos delexos, estao cansado de serem lezados por essa empresa que parece mais uma quadrilha que lezam os consumidores aki em iraquara por ex. o mes que menos cai agua nas torneiras é o mes que a conta vem mais caras devido a formaçao de ar em suas tubulaçoes em minha casa por ex caiu agua 3 veses no mes e minha conta que eu pagava de 16 a 21 reais em media veio 45,00 reais e se repete a cada mes
    ate quando isso vai continuar acontecer ? ja liamos pra o gerente da empresa de itaberaba e a unica coisa que foi nos dito foi que ele entraria em contato conosco pra marcar uma reuniao para falar sobre o asunto e ja se passaram 60 dias e o eles n retornaram a ligaçao para agendarmos a reuniao
    embasaaaaaaaaaaaa o povaooooooooooooooooooooooo taaaaaaaaaaaaa naaaaaaaaaaaa broncaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir

Blogroll