MACAÚBAS: Prédio de três andares desaba

Um imóvel de três pavimentos foi abaixo, por volta das 12h30 deste domingo (23), na Rua Aloísio de Azevedo, em Macaúbas. Segundo os moradores do prédio, a estrutura da residência ficou comprometida por conta de uma escavação irregular no terreno ao lado e se agravou com as fortes chuvas que caíram em Salvador nesta madrugada. No sábado, contam os proprietários da casa, a Defesa Civil (Codesal) condenou o imóvel e orientou a desocupação imediata.

Por conta do risco de desabamento, o administrador Marco Aurélio, de 42 anos, se viu obrigado a deixar o imóvel, construído há dois anos, junto com a esposa grávida, o filho de seis anos e a cunhada, a biomédica Débora Souza, 35, por volta das 4h de ontem. “Tivemos que sair às pressas. Só deu tempo de retirar alguns pertences”, lamentou ele, na manhã de ontem, horas antes da casa desabar. Desabrigada, a família buscou refúgio na casa de parentes, que fica na mesma rua.

Segundo a biomédica, há cerca de 20 dias, máquinas deram início à escavação ao lado do imóvel da família, sem alvará para realização do empreendimento, o que, segundo relatou, vai de encontro à avaliação feita pelos engenheiros da Codesal no sábado. “A informação que a Codesal nos deu foi de que, em hipótese alguma, essa escavação poderia ser feita com a utilização do maquinário”, reproduziu Débora. “Pelo contrário, era para ser feita manualmente e com contenção”, completou.

Foto: Gildo Lima | AG. A TARDE
De acordo com os proprietários do prédio, os donos do terreno vizinho, que, segundo eles, são os responsáveis por abalar a estrutura do imóvel onde residiam, são moradores de uma residência na Ladeira do Jacaré, que fica aos fundos da casa que desabou. A TARDE tentou ouvir os donos do terreno, no entanto, a reportagem foi informada de que eles havia deixado a casa por recomendação da Codesal.

A TARDE


0 Opiniões:

Postar um comentário

A MATÉRIA EM AUDIO