Policial civil mata namorada por ciúmes em Marcionílio Souza

O policial civil Paulo César Torres Sena, 38 anos, natural de Utinga-BA, ingressou na Polícia Civil da Bahia em 1997 no cargo de Escrivão de Polícia. Filho do músico Zito, membro da banda SILAS E SEUS TECLADOS, pai honesto e trabalhador. Na seleção para o cargo “PAULO” perdeu no psicoteste, recorrendo da decisão vindo a lograr êxito no acesso a entidade policial exercendo o cargo de escrivão na cidade de IRECÊ seu primeiro emprego.

Ele está custodiado na Corregedoria da Polícia Civil, no Rio Vermelho, sob acusação de ter matado a tiros a namorada na noite do último domingo 2 de outubro de 2011, na cidade de Marcionílio Souza, a 325 km de Salvador.

Ana Verina dos Santos Santiago, 28, que trabalhava como frentista em um posto de combustíveis da cidade, foi atingida por seis tiros de pistola calibre 40 em uma praça localizada no centro de Marcionilio Souza. O casal namorava há um ano.

Segundo a Polícia Civil, Paulo teria cometido o crime motivado por ciúmes da namorada e por causa de boatos que circulavam na cidade de que ela o traia. Ele foi preso em flagrante dentro da Delegacia Territorial da cidade, onde trabalha e ocupava uma vaga no alojamento do servidores.

O policial irá responder a um processo administrativo disciplinar que será analisado por uma comissão de delegados, com punição que varia entre 30 dias de suspensão até a expulsão da corporação.

Foto: Divulgação
Polícia Civil.
Ele também responderá criminalmente à Justiça pelo homicídio da namorada. Paulo foi preso logo após praticar o crime, por volta das 23h de domingo. O policial admitiu ao delegado titular Renato Fernandes Ribeiro que matou a namorada por ciúme.

Ao atirar contra a moça, Paulo atingiu de raspão um morador na perna, que não corre risco de morrer, e já reconheceu o policial como autor do crime.
DO CORREIO e Informações do Blog de Ezequias Dourado

0 Opiniões:

Postar um comentário

A MATÉRIA EM AUDIO