AMOR VIOLENTO: Vítima de dez facadas reata namoro e pede a juiz para soltar agressor

A soltura de um rapaz de 18 anos da prisão de Conceição do Coité, na Bahia, na sexta-feira (24), tem gerado muitos comentários entre os moradores da pequena cidade. O rapaz é acusado de tentativa de homicídio contra a namorada, uma jovem de 14 anos, que levou 10 facadas em outubro de 2011. Mas o que chama a atenção da população da região é que a liberdade foi concedida após a vítima escrever uma carta para o juiz que acompanha o caso pedindo a soltura.

“Ele é réu primário, com bons antecedentes e tem residência fixa, mas a família da moça alegou que estava sendo ameaçada, o que me levou a decretar a prisão preventiva”, explica o juiz Gerivaldo Neiva. Com a carta da jovem em mãos, apresentada pelo advogado do acusado, o juiz conta que teve que rever a decisão. “Na carta a garota dizia que tinha reatado o namoro com o rapaz e que iriam se casar. A intenção da prisão preventiva era evitar a proximidade dele com a jovem, mas ela passou a visitá-lo na cadeia. O advogado anexou a carta à petição, quebrando o argumento da preventiva”, pontua.

O juiz Gerivaldo conta ainda que, antes do rapaz ser solto, uma promotora de Justiça ouviu a adolescente e confirmou que ela visitava o jovem e se dizia arrependida pela situação, dando parecer favorável para a liberação.

Na época do crime, o caso gerou muita revolta e até protestos em Conceição do Coité. Com o rapaz em liberdade, a mobilização popular voltou às ruas da cidade. “Essa situação chega a ser inacreditável, as pessoas estão abismadas com a situação! Fico boba com essa história, como uma carta escrita pela própria moça dá início à soltura do rapaz. Não sei onde essa decisão terá um final feliz para os dois jovens… Como você vai dormir e acordar com um rapaz que lhe deu 10 facadas? Eu não teria essa coragem!”, declara Vilmara de Assis, moradora da cidade.

“Essa jovem talvez não tenha compreendido o que aconteceu com ela… Vai dormir com o inimigo!”, avalia Simone Nascimento.

Embora esteja em liberdade, o rapaz continua respondendo a processo por tentativa de homicídio. “Ele cometeu um crime contra a vida e a depender do julgamento pode ser absolvido ou condenado com pena entre seis e 12 anos, com possibilidade de cumprir a pena em regime semi aberto”, explica o juiz.

0 Opiniões:

Postar um comentário

A MATÉRIA EM AUDIO