Dois traficantes são suspeitos pela morte de Kelly

A delegada de Lauro de Freitas, Cristiana Oliveira, da 23ª Delegacia, falou ao programa do Bocão, da Rádio Sociedade, na manhã desta segunda-feira 18 de julho de 2011, sobre a morte de Kelly Ciclone. A jovem foi morta no centro de Lauro de Freitas, na Rua Romualdo de Brito, próximo à Previdência Social, pouco depois da meia-noite, depois de sair do Salvador Fest, que aconteceu no Parque de Exposições, Salvador. O corpo foi encontrado já sem vida.

Segundo a delegada, o corpo não apresentava nenhuma lesão, mas tinha uma perfuração de arma de fogo nas costas, próximo a uma das tatuagens, e um corte na região abdominal, próximo à cintura, que pode ter sido provocado com uma faca. "A perfuração tinha um tamanho razoável", comentou a delagada.

Em conversa com amigos, a irmã de Kelly disse que ela saiu do evento para conversar com o ex-namorado, o traficante "Mão", que, segundo a mesma fonte, não aceitava o fim do relacionamento. A testemunha deve prestar depoimento ainda nesta segunda (18). O Pai de kelly, Antonio Carlos dos Santos Silva, morador de Itinga, em Lauro de Freitas, disse à autoridade policial que sabia do envolvimento da filha com o traficante e que também tinha conhecimento de que ela não queria mais nenhum relacionamento com o suspeito. Durante as investigações preliminares, surgiu também o nome do traficante Tony, ex de Kelly, que está preso e é rival de “Mão".

Kelly Cyclone ficou famosa como a “patroa do tráfico”, após ser presa na capital baiana no bairro da Boca do Rio, numa festa, que, segundo a polícia, foi regada a cocaína. Em abril deste ano, ela foi entrevistada pela equipe do Bocão News e se defendeu das acusações de que seria traficante, mas confirmou que andava com pessoas envolvidas com o crime organizado.
Do Bocão News

0 comentários:

Postar um comentário

Blogroll