Cadáver é encontrado flutuando em tanque em Conceição do Coité

No inicio da manha desta sexta-feira, 19, um corpo foi encontrado flutuando em um tanque nas proximidades do Bairro Nova Esperança - Conceição do Coité. Um homem passou pelo local e se deparou com a cena e imediatamente avisou ao dono da propriedade que chamou a polícia.

Rapidamente populares curiosos chegaram no local a fim de tentar descobrir de quem se tratava. O cadáver apresentava sinais de afogamento e mais de 24h de óbito, uma cor roxeada e com inchaço. A princípio não foi possível identificá-lo, já que as características observadas não revelavam a identidade do corpo.

A identificação foi feita por uma família que tinha um ente desaparecido desde a última terça-feira, 16. Dona Marizete da Silva Araújo e seu esposo André Ramos dos Santos reconheceram o corpo encontrado, e
afirmaram que é o de José Valdo Silva de Araújo. Ele era irmão de dona Marizete e por volta das 10h da terça saiu de casa e até então não havia aparecido. Para o casal o corpo realmente é de José Valdo, que era bastante conhecido pelo apelido de Pavio, - “A mesma roupa que ele usava quando saiu na terça-feira” – disse dona Marizete ao chegar no tanque onde o corpo já estava flutuando. Dona Marizete disse também que para tirar as dúvidas procurou pela roupa em casa e não encontrou.

De acordo com o senhor André Ramos, conhecido por Prego, seu cunhado era viciado no álcool e bebia descontroladamente, mas não costumava sair e demorar para voltar. – “Pedi para ele ir na rua comprar uma farinha, ele foi e voltou, mas rapidamente saiu e de lá pra cá não tínhamos notícias
dele. Ontem (quinta-feira), eu entrei em contato com os hospitais de Coité e com a polícia, buscando informações sobre ele, pois eu já percebia seu sumiço, já que ninguém havia lhe visto, me informaram que Pavio não tinha dado entrada em nenhum lugar.” –
contou seu André.

Ainda segundo seu André, uma pessoa afirmou que havia visto José Valdo na quarta-feira pela manhã, o que indica que ele possivelmente tenha chegado ao tanque entre quarta e quinta-feira. Ao morrer, a vítima
segurava um sabonete verde, algo que caracteriza um possível banho da mesma, já que ele, quando bebia, costumava ir ao tanque para fazer a higiene pessoal. O sabão encontrado na mão esquerda de José Valdo também ajudou a identificá-lo, dona Marizete disse que foi ao lugar onde o sabonete ficava e o mesmo não estava.

O corpo de José Valdo, que por não possuir documentos aparenta ter 40 anos, foi retirado do tanque pela Polícia Civil com a ajuda de populares e até o fechamento desta matéria não havia informações da família
se o levaria para o DPT ou realizaria o sepultamento, já que o mesmo apresenta um quadro de inicio de decomposição.

Fonte: informecoite.com

0 comentários:

Postar um comentário

Blogroll