DIRIGENTES DA EMBASA FALAM SOBRE ADUTORA

Esclarecer os detalhes do projeto e o edital de licitação para construção da “Adutora do São Francisco”, que será responsável para o salvamento da “Adutora do Feijão”, de modo a assegurar o abastecimento de água para o consumo humano de 14 municípios, envolvendo mais de 300 mil pessoas, foram os principais objetivos dos dirigentes da Embasa – Empresa Baiana de Saneamento, em visita hoje à cidade de Irecê.

Eles estiveram nos principais meios de comunicação da cidade, no intuito de dirimir quaisquer dúvidas sobre a obra. De acordo com o diretor de operações, Eduardo Araújo, a parceria Cerb/Embasa, nunca parou de trabalhar na busca de solução para o problema. “Foi uma determinação do governador Jacques Wagner e do secretário Afonso Florence, dar celeridade à elaboração do projeto e definição de recursos para sua execução, tanto o é, que um projeto desta magnitude, que se demora ao menos um ano para sua conclusão, envolvendo estudos topográficos, impactos, viabilidade técnica, econômica e social, mas, no entanto, em menos de seis meses ele já estava pronto para licitação, cujo edital foi publicado esta semana pelo governador”, esclareceu Eduardo, informando ainda que mais de R$ 30 milhões de tubulações para a primeira fase da construção já foram investidos desde setembro do ano passado.

Quanto à opção de margear pela BA-052, com captação direta no Rio São Francisco e a instalação de Estação de Tratamento em Itaguaçu da Bahia, tem como finalidade reduzir os custos com energia elétrica e garantir o abastecimento de água em comunidades dos municípios de Itaguaçu da Bahia e Central, onde ocorre um dos maiores déficits no abastecimento da região, esta que, segundo disse o diretor de operações, dispõe da maior cobertura em abastecimento de água do Estado.

Para Elmo Vaz Bastos de Matos, engenheiro civil e superintendente da empresa, “ao contrário do que apregoam por aí, de que a obra é imediatista, ao contrário, é futurista. Somente os incapazes ou dotados de outros interesses podem dizer o contrário”, diz ele, rebatendo o que ele denominou de especulação focada para no debate improdutivo e inconsequente. Segundo ele a obra oferece um horizonte de 30 anos e conduzirá água para toda a região, inclusive em localidades que atualmente não são assistidas.

Já o diretor administrativo, Belarmino de Castro Dourado destacou a importância da transparência que deve ser dada na realização de todas as etapas da obra. “Estamos iniciando a primeira das duas etapas, 42 dos 132 quilômetros de extensão, envolvendo R$ 76 milhões dos R$ 180 previstos para a sua conclusão. A primeira etapa está projetada e em licitação, o projeto da segunda está em elaboração e será executado ainda paralelamente à primeira. Dividindo em duas etapas, será mais célere a sua conclusão”, explicou Belarmino.

Ainda de acordo com ele, será realizada ainda este mês na região de Irecê, uma Conferência Pública para esclarecer à sociedade, e principalmente às lideranças políticas e comunicadores, todos os aspectos detalhados da obra, sua importância e alcance social, para que se evite a contaminação de falas impróprias, que costumam deturpar a verdade e induzir os meios de comunicação e à sociedade a erros bastante perigosos”, observou o diretor administrativo.

Fonte: Jornal Cultura e Realidade

0 Opiniões:

Postar um comentário

A MATÉRIA EM AUDIO