ASSALTANTE É PRESO PELA CIPE ENQUANTO TENTAVA FUGIR COM HILUX ROUBADA.

Na tarde dessa terça-feira, 06, os policiais da Companhia Independente de Policiamento Especializado do Pólo Industrial (Cipe – PI), mais conhecida como ''Caatinga'', realizavam a Operação Muzuá (consiste em abordagens itinerantes, na busca de armas, drogas e veículos roubados) quando receberam uma chamada via rádio, notificando de um assalto. Daí em diante, um pouco de acaso e a rápida ação policial, culminou na recuperação de um carro roubado e resgate da vítima que ainda estava à bordo do automóvel. Acompanhe os fatos:

Assalto

Por volta das 17h00, uma Hilux de cor vinho, foi tomada de assalto no Pólo de Apoio. Além do veículo, o condutor também foi levado pelos assaltantes. A vítima reside em Salvador e trabalha em Camaçari.

Ação Policial

Os agentes das duas viaturas da Cipe que estavam de patrulha na estrada da Cascalheira, foram avisados de que os assaltantes seguiam naquela direção. No momento que os carros se cruzaram na pista, os policiais fizeram o retorno e começou uma perseguição. A vítima, que estava no banco de trás, percebendo a ação da polícia, puxou o freio de mão, forçando a parada do veículo.

Ainda com o carro em movimento, os elementos se precipitaram para fora do automóvel e correram em direção às obras do projeto Minha Casa Minha Vida, perto da antiga Beltran, na via Parafuso.

Após um tempo de perseguição a pé, temendo a investida da polícia, um dos assaltantes se jogou no chão, se rendendo, mas o segundo, adentrou o matagal e conseguiu fugir. Foi dado voz de prisão e o elemento, encaminhado para a 18ª Circunscrição Policial (delegacia de Camaçari).

Na delegacia, o assaltante, que portava uma arma automática, com 12 balas intáctas, apresentou um nome falso, se fazendo passar por Antonio Gonçalves da Silva. No entanto, foi descoberto que o nome verdadeiro é Gledson Djean Moura Evangelista, morador do bairro de São Cristóvão em Salvador. Os agentes informaram que Gledson já foi preso por roubo e também pesa sobre ele a suspeita de ter matado um policial em 2005.

A Vítima.

Não se sabendo porquê - provavelmente por se encontrar atordoado com a situação -, o dono do veículo recuperado, ao se ver livre, ao invés de se dirigir à delegacia para proceder a queixa, se dirigiu para Salvador. - Motivo pelo qual não há imagens do carro, nem dados de identificação de quem se trata.

Um contato foi feito, pela polícia, com a vítima; que informou que estava retornando. Mas a equipe do CFF, por ter que cobrir um outro evento, não pode aguardar o seu retorno. Se houve.
 
Fonte: www.camacarifatosefotos.com.br - (foto/Marcelo Franco)

0 comentários:

Postar um comentário

Blogroll