Caos no Conselho Tutelar de Brumado

Membros do Conselho Tutelar apresentaram as deficiências no órgão.
(Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias).
Falta de estrutura, salários reduzidos e sem veículos para locomoção. Assim está o Conselho Tutelar, em Brumado. Na noite desta segunda-feira (28), a presidente do órgão, Arlene Ribas, utilizou a Tribuna Livre, da câmara de vereadores, para falar sobre as irregularidades no setor. A comparar com outros municípios da região, com porte igual ou menor que a cidade, o Conselho trabalha a míngua. Conforme os números apresentados, em Caetité, o salário do conselheiro e de R$ 1.000,00 e em Poções, R$ 900,00, lembrando que são dois municípios com uma população menor que Brumado, e comparando, Brumado paga menos que Aracatu, que possui menos de 20 mil habitantes, e um conselheiro recebe, R$ 520,00, enquanto aqui, o último salário foi de R$ 510,00. Quando foi implantado o Conselho Tutelar no município, o conselheiro recebia dois salários e agora não recebe nem um completo. O Conselheiro, Marlúcio Gonçalves, disse ainda que a última vez que houve um contato com o gestor municipal foi em Agosto de 2010, quando disse que seria agendada uma reunião, o que não aconteceu. “Já procuramos o prefeito através de ofícios, mas não fomos atendidos, e ainda não sabemos o porquê”, disse. Segundo Marlúcio, o conselho não pensa em parar para não deixar as crianças sem atendimento, mas espera-se mais atenção do gestor municipal para que o órgão seja mais bem estruturado para o exercício da função. Clique aqui para ouvir a entrevista (Brumado Notícias)

0 Opiniões:

Postar um comentário

A MATÉRIA EM AUDIO