Empresários pedem mais tempo à Sefaz para a implantação do SPED Fiscal

Representantes de diversas associações empresariais e entidades de classe reuniram-se na manhã com o secretário da Fazenda da Bahia, Carlos Martins. A pauta da reunião foi a questão do prazo de implantação do SPED Fiscal, programado para começar no dia 1º de janeiro de 2011 e que vem dando dor de cabeça para os setores produtivos.”

Caso não haja prorrogação, muitas pequenas e médias empresas terão de fechar suas portas ou entrar na ilegalidade, já que não há como conseguir os recursos necessários para a implementação do sistema”, protesta o presidente do Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitarias da Bahia (Sindipan), Mário Pithon.

Ao final do encontro, o secretário Carlos Martins comprometeu-se a estudar as demandas dos empresários, mas mostrou-se irredutível com a extensão do prazo. “Podemos até adiar a implementação para dezembro, mas o SPED terá de ser retroativo até janeiro de 2011. Implementação do SPED em 2015 está fora de questão”, afirma. Um grupo de trabalho será criado com o objetivo de facilitar a comunicação entre a Sefaz e o empresariado.

De acordo com o consultor do Sescap (Sindicato das Empresas Contábeis e das Empresas de Serviços), José Rosenval, “a aquisição, implantação e treinamento de um software como esse pode chegar a custar 250 mil reais. Poucas empresas terão capacidade de captar este montante”, explica.
Tribuna da Bahia Online

0 Opiniões:

Postar um comentário

A MATÉRIA EM AUDIO