Sertanejo é acusado de estuprar adolescente baiana

Mais um sertanejo está envolvido em um suposto caso de estupro. Desta vez, o cantor Marcelo da dupla sertaneja João Lucas e Marcelo está sendo investigado pela Polícia Civil da Bahia. Supostamente ele manteverelações sexuais com uma adolescente de 14 anos após um show na cidade de Barreiras. A denúncia foi feita pelo tio da adolescente na delegacia da cidade.

De acordo com o tio da vítima a jovem foi até o quarto do cantor na madrugada desta sexta-feira (5). “Vou pedir exame porque não vou pela conversa dela. Tem que saber a verdade”, afirmou o tio da garota, que não quis se identificar.


À polícia, a garota relatou que, após o show da dupla na ExpoBarreiras 2013, foi por vontade própria ao quarto do hotel onde o cantor estava. “Tudo o que aconteceu no quarto não foi nada forçado, foi porque eu quis mesmo. Relação sexual entre nós, não. Não rolou”, disse a garota à polícia.

Segundo o delegado Francisco de Sá, a menina ficou no quarto por cerca de 30 minutos. A polícia abriu inquérito com base no Estatuto da Criança e do Adolescente. “Exploração sexual ou favorecimento da prostituição a crianças e adolescentes. Segundo as declarações da vítima, da adolescente, não houve a conjunção carnal, houve atos libidinosos diversos da conjunção carnal”, disse o delegado. Informações G1.

Em 2010, a Polícia Civil de Goiás instaurou inquérito para investigar um suposto caso de estupro envolvendo o cantor Marrone, da dupla sertaneja Bruno e Marrone. Em nota divulgada pela assessoria do cantor, Marrone se diz surpreso com a denúncia. Segundo a polícia, uma jovem de 17 anos foi ao plantão do 2º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia (13 km de Goiânia) e declarou ter sido estuprada pelo cantor. O cantor negou a acusação.

Mas um dos casos que chocou o Brasil envolve a Banda New Hit. No dia 25 de agosto de 2012, duas jovens – uma de 15 e outra de 16 – acusaram os dez integrantes da banda de pagode de estupro coletivo. O caso aconteceu em Ruy Barbosa, a 300km de Salvador.

Os dez acusados respondem em liberdade por estupro e formação de quadrilha e chegaram a passar mais de um mês presos. Um dos acusados é um policial militar que fazia bico como segurança da banda e foi denunciado por não impedir o crime. Ele voltou à corporação, mas fará apenas serviços administrativos. As próximas audiências em torno do Caso New Hit só irão ocorrer agora nos dias 3, 4 e 5 de setembro, quando os dez réus serão interrogados.

Fonte: Bocão News

0 comentários:

Postar um comentário

Blogroll