POR VANGE: No tempo que um fio de bigode valia dinheiro

O SR. Herculano Dourado, morador de Macaúbas-BA, resolveu fazer uma visita aos seus parentes que moravam em Canabrava dos Miranda, - Canarana; atualmente. – Isso lá nos anos 20. Era dia de Natal, e Herculano ja de volta da casa de muitos parentes que teria visitado, passando por: CARREIRA DA VACA, (povoado,) Estava à beira da VEREDA ROMÃO GRAMACHO, o seu primo, Alfredo Silva Dourado, com sua esposa, filhos e amigos, fazendo uma feijoada em baixo dos pés de limoeiro que tinha à beira d’água; era uma antiga tradição da família.
Herculano desceu de seu burro, cumprimentou, abraçando o seu primo Alfredo e as demais pessoas ali presentes. Entraram em um longo papo de boas lembranças do passado, piadas, etc.
Quando ao meio dia, a esposa de Alfredo avisa que o “feijão gordo” já estava no ponto. Alfredo então diz: - Primo, vamos matar quem está nos matando? Não Alfredo! Comi um bom pedaço de requeijão e estou sem fome.
Naquela época, “homem não voltava atrás a sua palavra; disse, estava dito”. Sabendo disso, Alfredo sequer lhe fez um 2º convite.
Como há muitos anos os dois não se reencontravam, Herculano para não deixar o seu primo e sua esposa, sem graça, fez uma proposta: - Primo, no próximo ano, no mesmo dia, 25 de dezembro, meio dia em ponto, estarei aqui e almoçaremos juntos. – Fechado. Respondeu Alfredo.
Herculano despediu-se da turma, montou em seu burro e pegou caminho para MACAÚBAS, que fica há 250 km. De Canarana.
No ano seguinte, repetia a feijoada. Quando... -Alfredo, o “feijão gordo” já está no ponto; vamos almoçar? Era a sua esposa. – Não; faltam 10 para o meio dia; e esqueceu que Herculano vem para almoçar com a gente?
Sua esposa com cara de mangação, disse sorrindo: Alfredo, isso foi promessa de um ano atrás, Herculano está lá lembrando do que prometeu? Alfredo de olho no relógio, responde: - Será servido a feijoada, somente ao meio dia; já disse. De repente, isso já há 5 minutos para o meio dia, ouve-se um grito:
- “Ei Alfreeeeeeedo!!! Tô chegando”!!!
Era Herculano que estaria chegando para cumprir com a palavra.

****Dizia Rogério Cardoso Dourado, (primo), Que faleceu aos 101 anos de idade: “Naquele tempo, um fio de bigode de um homem valia uma nota de cem mil réis”.

***Esta história é verídica; contada e recontada à pedido das pessoas, pelo grande historiador VALDEMAR CARNEIRO. *********

Por Vange


João Evangelista de Sousa (Vange)
*************************
Mais informações:
João Evangelista de Sousa, popular (Vange), ele é natural de Barra do Mendes BA. Mas residente no Distrito de Salobro (Canarana) BA. Ele não tem a escrita como fonte do seu sustento material, mas dedica muito a ela para ganhar conhecimentos, de acordo Vange por falta de oportunidade na sua infância e incentivo na adolescência, lhe deixou um homem com fome de sabedoria. Com a escrita e a leitura ele tenta saciar essa fome.
Atualmente ele é um dos melhores profissionais da Bahia na área de fabricação de moveis sobre medidas. Para maiores informações, contatos e encomendas clique aqui para falar com ele.

Leia também:
POR VANGE: Você acredita em Horóscopo?
7 de setembro e Salobro. Poesia de João Evangelista (Vange Marceneiro)
As Cacimbas de Salobro, Poesia de João Evangelista (Vange - Marceneiro)

0 comentários:

Postar um comentário

Blogroll